Pesquisas‎ > ‎Laboratórios‎ > ‎

Ecologia Numérica e Pesqueira

Ecologia é o estudo da distribuição e abundância dos organismos e das interações que determinam esses padrões. A ecologia numérica proporciona ferramentas quantitativas para subsidiar o delineamento e a análise de dados em ecologia. A pesca é uma interação humana com ambientes aquáticos, que resulta na extração de organismos para consumo ou comercialização. Dentro dos estudos de pesca encontramos uma aplicação importante da ecologia numérica: a avaliação de estoques pesqueiros, ou seja a aplicação de ferramentas quantitativas para determinação do estado de populações de organismos aquáticos em relação a sua exploração pelos humanos.
No laboratório de Ecologia Numérica e Pesqueira utilizamos os princípios do delineamento amostral e experimental para subsidiar o planejamento de estudos em ecologia, bem como modelos matemáticos, métodos estatísticos e programação em computador para analisar os resultados desses estudos. Para tal trabalhamos em colaboração com professores, pesquisadores e alunos de graduação e pós-graduação que estudam a ecologia dos mais diversos organismos. Colaborações recentes incluem, por exemplo, a aplicação de análises multivariadas para detecção de gradientes ambientais (Speckman et al 2005), a modelagem da prevalência parasitária em peixes (Dias et al 2006), a determinação da unidade amostral mais eficiente para estudo de ecologia de peixes recifais (Minte-Vera et al 2008), a modelagem da probabilidade de ocorrência de espécie invasora (o tucunaré Cichla kelberi ) em reservatórios da bacia do alto Paraná (Espinola et al 2010). As aplicações da ecologia numérica do laboratório têm sido realizadas tanto em ambientes aquáticos de água doce e marinhos, quanto em ambientes terrestres, bem como desde regiões tropicais a subárticas, enfatizando a universalidade dos fundamentos matemáticos e estatísticos. Como princípio buscamos utilizar e difundir o uso de softwares livres como o (GNU-R) e o AD Model Builder.
As atividades do laboratório na área de ecologia pesqueira incluem aspectos mais amplos da interação humanos-organismos aquáticos. Os estudos têm incluído desde a revisão do estado da pesca mundial (Hilborn et al 2003), a aplicação de meta-análise para resolver perguntas gerais em pesca (Minte-Vera 2004, Hilborn & Minte-Vera 2008), economia pesqueira (Petrere et al 2006) até a geração de subsídios para a gestão compartilhada de recursos pesqueiros, em especial em Reservas Extrativistas (e.g. Moura et al 2009, Seixas et al 2009). Os estudos de pesca em unidades conservação e seu entorno incluem aspectos da biologia pesqueira, monitoramento participativo dos desembarques pesqueiros, educação e divulgação científica. Estes estudos estão fortemente arraigados nos princípios da pesquisa-ação, ou seja uma pesquisa que além de gerar conhecimento produz mudanças, e são realizados em parceria com atores da pesca como as comunidade locais, ONGs (Conservação Internacional –Programa Marinho) e agências governamentais (ICMBio Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, MPA Ministério da Pesca e Aquicultura).
Outra atividade freqüente dos componentes do laboratório é a participação em avaliações de estoques pesqueiros, em especial de estoques de grande importância econômica, que incluem a aplicação de ferramentas quantitativas sofisticadas como o ajuste de modelos de dinâmica populacional a diversas fontes de dados utilizando a estatística Bayesiana. São exemplos dessas participações a avaliação do Orange roughy Hoplostethus atlanticus na Nova Zelândia, do espadarte Xiphias gladius do Atlântico Sul no âmbito da  ICCAT (Comissão Internacional para a Conservação de Atuns do Atlântico) e do dourado Coryphaena hippurus no âmbito da CRFM (Caribbean Regional Fisheries Mechanism )

Contato

Telefone: 44-3011-4622

Endereço:
UEM/Nupélia
Bloco H-90, sala 17
Av. Colombo, 5790
87020-900 - Maringá - PR

Pesquisadores




Publicações selecionadas


Ecologia numérica

Speckman, S.G.,Piatt, J.F., Minte-Vera, C.V. and Parrish, J.K. 2005. Parallel structure among environmental gradients and three trophic levels in a subartic estuary. Progress in Oceanography, 66(1): 25-65.

Dias, M. L.; Minte-Vera, C.V.; Eiras, J.C.; Machado, M.H.; Souza, G.T.R.; Pavanelli, G. C. 2006. Ecology of Clinostomum complanatum Rudolphi, 1814 (Trematoda: Clinostomidae) infecting fish from the floodplain of the high Paraná River, Brazil. Parasitology Research, 99(3): 675-681. DOI: 10.1007/s00436-006-0205-0

Minte-Vera, C. V.; Moura, R.L. and Francini-Filho, R. 2008. Nested sampling: An improved visual-census technique for studying reef fish assemblages. Marine Ecology Progress Series 367:283-293.

Espínola, L.A.; Minte-Vera, C.V.; Júlio Jr, H.F. Online first. Invasibility of reservoirs in the Paraná Basin, Brazil to Cichla kelberi Kullander and Ferreira, 2006. Biological Invasions, Published online: 23 October 2009, DOI 10.1007/s10530-009-9598-x

Ecologia pesqueira

Hilborn, R., Branch, T.A., Ernst, B, Magnusson, A., Minte-Vera, C.V., Scheuerell, M.D., and Valero, J.L. 2003. State of the World’s Fisheries. Annual Review of Environment and Resources. 28:359-399

Minte-Vera, C.V. 2004. Meta-analysis of density-dependent somatic growth. Ph.D. Dissertation. University of Washington. School of Aquatic and Fishery Sciences, Seattle, WA, USA.

Petrere, M.; Walter, T.; Minte-Vera, C. V. 2006. Income evaluation of small-scale fishers in two Brazilian urban reservoirs: Represa Billings (SP) and Lago Paranoá. Brazilian Journal of Biology, Brasil, v. 66, n. Volume 3, p. 817-828.

Hilborn, R. and Minte-Vera, C.V. 2008. Fisheries induced changes in growth rates in marine fisheries: are they significant? Bulletin of Marine Science 83(1):95-105.

Moura, R.L; Minte-Vera, C.V.; Curado, I.B.; Francini-Filho, R.B.; Rodrigues, H.C.L.; Dutra, F.D.; Alves, D.C. ; Souto, F.J.B. 2009. Challenges and prospects of fisheries co-management under a Marine Extractive Reserve framework in Northeastern Brazil. Coastal Management 37(6): 617 – 632.

Seixas, C.S.; Minte-Vera, C.V.; Ferreira, R.G., Moura, R.L.; Curado, I.B.; Pezzuti,J. Thé, A.P.G., Francini-Filho, R.B. 2009. Co-Managing commons: Advancing Aquatic Resources Management in Brazil. p. 156-182. in: Lopes, P. and Begossi, A. Current Trends in Human Ecology. Newcastle upon Tyne: Cambridge Scholars Publishing.