Projetos‎ > ‎

Estudos ambientais da planície de inundação do rio Paraná no trecho compreendido entre a foz do rio Paranapanema e o reservatório de Itaipu

Empresa financiadora
PADCT/CIAMB (CNPq e CAPES)
Coordenador Geral
Profa. Dra. Anna Emilia A.M.Vazzoler
Período de realização
set/91 à dez/95

Sub-projeto 1
Hidrologia
Coord. Prof. Dr.Roberto Cruz Lessa

Zoneamento meso e microclimatológico da área de bordadura do trecho do rio Paraná, entre a foz do rio Paranapanema e a barragem de Itaipu.

Sub-projeto 2
Limnologia Física e Química
Coord. Prof. Dr. Sidinei Magela Thomaz

Caracterizar as flutuações sazonais de alguns parâmetros físicos e químicos, tais como temperatura, transparência, pH, condutividade elétrica, alcalinidade, matéria orgânica particulada e dissolvida em ambientes aquáticos de natureza lêntica e lótica; inferir sobre a influência de fatores de âmbito regional (regime hidrológico e temperatura do ar) e fatores locais (chuva e ventos) sobre as características limnológicas referidas acima; caracterizar, quanto a estes fatores limnológicos, os diferentes compartimentos dos ambientes lênticos a serem estudados, quais sejam, região litorânea e pelágica, bem como os padrões de distribuição vertical neles existentes; determinar os níveis de concentração dos macronutrientes (N, P, Si-reativa, K, Ca, Mg) e micronutrientes (Cu, Zn, Fe, Mn) na água, bem como a demanda química de oxigênio; avaliar as variações espaço-temporais na concentração dos nutrientes e, em casos de níveis elevados, detectar a origem.

Sub-projeto 3
Ecotoxicologia
Coord. Prof. Dr. Ervin Lenzi

Determinar os níveis de concentração, na água e no sedimento, dos seguintes elementos (metais pesados tóxicos): Hg, As, Cd, Pd e Cr; determinar os níveis de concentração de praguicidas (organoclorados) na água e no sedimento; avaliar as variações espaço-temporais nos níveis de concentração dos metais pesados e praguicidas e, em casos de níveis preocupantes, detectar as fontes de origem.

Sub-projeto 4
Geomorfologia, Estratigrafia e Sedimentação
Coord. Prof. Dr. José Cândido Stevaux e Prof. Dr. Edivard

Realizar o mapeamento geológico e geomorfológico para a definição dos domínios fisiográficos e sua constituição litológica; caracterizar a estratigrafia, palinologia e as idades radiométricas dos depósitos da planície; estudar o transporte e sedimentação dos principais canais fluviais; elaborar modelo geomórfico-sedimentar para rios tropicais, de forma a interrelacionar o conhecimento dos processos e produtos sedimentares da planície e sua distribuição espacial.

Sub-projeto 5
Fitoplâncton e Perifíton
Coord. Profa. Dra. Sueli Train e Profa. Dra. Liliana Rodrigues

Estimar as variações espaciais e temporais da biomassa fitoplânctonica (clorofila-a); quantificar nos difentes períodos do ano (seca e cheia) a produtividade primária das comunidades fitoplanctônica e do perifíton, relacionando-a às características limnológicas mensuradas; caracterizar o fitoplâncton quanto à composição qualitativa e quantitativa, assim como sua variação sazonal e espacial; identificar os principais fatores ecológicos que influem na estrutura do fitoplâncton; determinar, preliminarmente, a composição específica de diatomáceas perifíticas associadas a macrófitas aquáticas; identificar as variações, a nível de estrutura populacional, das espécies mais freqüentes em função das características do ambientes; avaliar a similaridade biocenótica entre o perifíton em ambientes lóticos e lênticos.

Sub-projeto 6
Zooplâncton
Coord. Prof. Dr. Fábio Amodeo Lansac Toha

Determinar a composição qualitativa e quantitativa do zooplâncton nos ambientes lóticos e lênticos; estabelecer a variação temporal dos organismos zooplantônicos e sua relação com fatores físicos e químicos da água; determinar a distribuição espacial da comunidade zooplanctônica; determinar as influências das condições hidrológicas regionais na distribuição e densidade dos organismos zooplanctônicos; estabelecer as relações entre a densidade do zooplânton e a concentração de clorofila.

Sub-projeto 7
Zoobentos
Coord. Profa. Dra. Alice Michiyo Takeda

Determinar a composição qualitativa e quantitativa da fauna bêntica associada ao fundo e às macrófitas das lagoas marginais; determinar a influência das condições hidrológicas nas flutuações da densidade da fauna bentônica; determinar os estádios de desenvolvimento das espécies mais frequentes de Chironomidae, visando a identificação do material biológico coletado em campo.

Sub-projeto 8
Macrófitas Aquáticas
Coord. Prof. Luis Maurício Bini

Determinar a composição qualitativa e quantitativa das macrófitas aquáticas e suas variações espaço-temporais; padronizar o método para a estimativa da atividade da redutase de nitrato (NR) in vivo em Eichhornia crassipes; avaliar a capacidade real e potencial de incorporação de nitrogênio inorgânico pela comunidade de E. crassipes e o fluxo de nitrato no sentido ambiente-biota; avaliar a influência do regime hidrológico sôbre as concentrações de nitrato na água e em E. crassipes, assim como em sua taxa de assimilação; estabelecer princípios com o objetivo de criar modelos matemáticos preliminares destinados a prever o comportamento das populações de E. crassipes, com relação à assimilação do nitrogênio inorgânico diante de alterações no ambiente; analisar os principais componentes químicos orgânicos e inorgânicos, fração protoplasmática e fração de parede celular das principais espécies de macrófitas aquáticas da planície de inundação; verificar a variação desses elementos nas diferentes porções da macrófita e sob condições hidrológicas diversas; avaliar a contribuição das espécies de macrófitas aquáticas no teor de matéria orgânica dissolvida e particulada no sistema, tendo por base os valores obtidos para a fração protoplasmática e fração de parede celular; determinar os níveis de concentração, na vegetação aquática, dos seguintes elementos (metais pesados tóxicos): Hg, As, Cd, Pd e Cr.

Sub-projeto 9
Genética de Peixes
Coord. Prof. Dr. Erasmo Renesto

Caracterizar o perfil eletroforético de alguns sistemas isoenzimáticos em populações das espécies Prochilodus scrofa (curimba), Pseudoplatystoma corruscans (pintado) e Salminus maxillosus (dourado); identificação de populações; detectar marcadores isoenzimáticos populacionais e possíveis variações individuais nos sistemas estudados; delimitação de populações; identificar as formas jovens das espécies de peixes que se utilizam das áreas alagáveis para o crescimento inicial.

Sub-projeto 10
Ovos e larvas de peixes
Coord. Prof. Dr. Keshiyu Nakatani

Estabelecer a distribuição quali-quantitativa espacial dos ovos e larvas das espécies mais abundantes; inventariar, preliminarmente, os principais fatores de mortalidade das formas jovens na planície de inundação; estabelecer relações entre a distribuição espacial e temporal de formas jovens e as condições limnológicas e hidrológicas vigentes; estabelecer a composição quali-quantitativa das espécies de peixes da região e suas variações em função de alterações nas condições hidrológicas e metereológicas nos anos anteriores.

Sub-projeto 11
Levantamento ictiofaunístico
Coord. Profa. Dra. Ana Emília de A. M. Vazzoler

Estabelecer as relações de similaridade e dissimilaridade entre a fauna de peixes de ambientes lóticos e lênticos; identificar as espécies residentes, temporárias e esporádicas nos diferentes ambientes considerados; identificar os grupos específicos associados, à luz das condições hidrológicas e limnológicas; estabelecer a estrutura em comprimento e sexo das principais espécies de peixes, identificando suas variações espaciais e temporais; identificar a época de ocorrência dos principais eventos do ciclo reprodutivo das espécies mais abundantes e os possíveis fatores ambientais entervenientes; identificar o tipo, época e local de desova das principais espécies; estimar o tamanho e idade de primeira maturação das espécies mais abundantes; determinar a época de formação dos anéis de crescimento e as condições hidrológicas e limnológicas vigentes; estabelecer a curva de crescimento das espécies mais frequentes, assim como relacionar as variações na taxa de incremento em comprimento com os fatores ambientais vigentes; estimar os valores de indicadores nutricionais e suas relações com as condições hidrológicas, limnológicas e eventos endógenos cíclicos; determinar as variações da intensidade de tomada de alimentos durante períodos de 24 horas e por estação do ano; identificar a composição do alimento das espécies e suas variações conforme o tamanho, ambiente e estações do ano; identificar o espectro alimentar das larvas e alevinos das espécies mais abundantes na região; estabelecer, preliminarmente, as relações tróficas das comunidades.

Sub-projeto 12
Vegetação Ciliar
Coord. Profa. Dra. Maria Conceição de Souza

Identificar as espécies arbóreas, arbustivas e epifitas que compõe a mata ciliar da região; caracterizar a mata ciliar de acordo com a florística, formulando hipóteses acerva de sua origem; identificar as plântulas das espécies principais, com base em dados a serem obtidos em viveiros de germinação; relacionar a época de germinação das sementes das espécies mais abundantes nas áreas inundadas com o ciclo hidrológico da área; caracterizar a estrutura vertical e horizontal do componente arbóreo da mata ciliar através da análise de parâmetros fitossociológicos; avaliar a variação florística e estrutural da formação vegetal em relação às características edáficas, topográficas e hidrográficas sazonais; caracterizar a mata ciliar da região à luz dos dados de outras regiões geográficas semelhantes.